Matemática e cultura: a simetria e o pensamento algébrico

Maria José Costa dos Santos

Resumo


Apresento uma prática cultural e sua relação com o conteúdo de simetria, visando a ampliação das possibilidades cognitivas para o desenvolvimento do pensamento algébrico. Objetivo mostrar os enlaces entre esses saberes para o ensino mais efetivo e uma aprendizagem mais significativa, olhando para padrões e simetrias encontrados numa prática sociocultural. Reflito que é necessário o direcionamento dessa discussão para o âmbito da cientificidade, e para tanto, mostro a prática das rendeiras de bilro como fonte de criatividade, imaginação e ressignificação de saberes matemáticos. Proponho um diálogo entre os saberes: (i) matemáticos; (ii) culturais); e, (iii) científicos. Analiso os conteúdos matemáticos, especificamente, a ideia de simetria como padrão para o desenvolvimento do pensamento algébrico por meio de discussões e conexões entre esses temas. Por fim, considero relevante essas relações, pois visam a consolidação da área da Educação Matemática, a partir de uma reflexão teórica e analítica da Matemática e Cultura.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


REMATEC 2006-2019. Site desenvolvido por Stanley de Oliveira (stanleyufrn@gmail.com).