Feiras de Matemática: espaço de pesquisa, socialização e divulgação de saberes

Alayde Ferreira dos Santos, Walter Antonio Bazzo

Resumo

As Feiras de Matemática (FM) já se transformaram em um evento consolidado. Existem há trinta e cinco anos em Santa Catarina, há treze anos na Bahia e, há pouco mais de cinco anos, em outros estados da Federação. Ao considerar essa expansão, realizamos um estudo que teve, como objetivo, analisar as pesquisas que as tiveram como foco de estudo. Para tanto, realizamos, no Portal da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), um levantamento, do período de 1996 a 2016, de teses e dissertações, discussões e registros que indicassem a contribuição das FM para as disciplinas dessa área e, mais importante, para a formação de professores e estudantes participantes desses eventos. Encontramos seis trabalhos com a temática em questão que apontam a relevância das FM para o desenvolvimento do ensino e da aprendizagem da Matemática, para a motivação dos educandos nas aulas e para o auxílio à melhoria da prática pedagógica dos professores. Para além disso, fizemos o seguinte registro preliminar: nas Feiras de Matemática, existe uma relação entre Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) e as questões contemporâneas que, favorável para uma formação crítica dos participantes, constitui objeto de uma pesquisa mais profunda que ora empreendemos.

Texto completo:

PDF

Referências

ANJOS, M. C. R. Fronteiras na construção e socialização do conhecimento científico e tecnológico: um olhar para a extensão universitária. 442 páginas. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis/SC, 2014.

ASSUNÇÃO, E. M. Grupo de Professores em um Projeto de Feiras de Matemática: Contribuições para a Prática Docente. Dissertação (Programa de Mestrado Profissional em Educação Matemática) Universidade Federal de Juiz de Fora, MG, 2018.

AULER, D; BAZZO, W.A. Reflexões para a implementação do Movimento CTS no Contexto Educacional Brasileiro. Ciência e Educação, v. 7, n.1, p. 1-13, 2001.

AULER, D; DELIZOICOV, D. Alfabetização Científico-Tecnológica Para Quê? Revista Ensaio. Belo Horizonte, v.03, n. 02, p.122-134, jul-dez, 2001.

BAZZO, W.A.; PEREIRA, L. T. V.; BAZZO, J. L. S. Conversando sobre Educação Tecnológica. 2.ed. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2016.

BAZZO, W.A. De Técnico e de Humano questões contemporâneas. 2.ed. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2016.

BAZZO, W.A. Ciência, Tecnologia e Sociedade e o contexto da educação tecnológica. 5.ed. ver. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2015.

BIEMBENGUT, Maria Sallet; Z ERMIANI, Vilmar José. Feiras de Matemática: história das ideias e Ideias da história. Blumenau, Legere/Nova Terra, 2014.

COÊLHO, J.D.; PINHEIRO, J.C.V. Grau de organização entre os feirantes e problemas por eles enfrentados nas feiras livres de Cascavel e de Ocara, no Ceará. In: CONGRESSO DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL - SOBER, 47, 2009, Porto Alegre: Anais... Porto Alegre: SOBER, 2009.

COLLA, C.; STADUTO, J.A.R.S.; JÚNIOR, W. F. da R.; RINALDI, R.N. A Escolha da feira livre como canal de distribuição para produtos da Agricultura Familiar de Cascavel - PR. In: CONGRESSO DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL - SOBER,45, 2007, Londrina: Anais...Londrina: SOBER, 2007.

CIVIERO, P. A. G. Educação Matemática Crítica E As Implicações Sociais Da Ciência E Da Tecnologia No Processo Civilizatório Contemporâneo Embates para Formação de Professores de Matemática. 2016. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis – SC, 2016.

DELIZOICOV, D. et al. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

FIORENTINI, D. Pesquisar práticas colaborativas ou pesquisar colaborativamente. In: BORBA, M. C. e ARAÚJO, J. L. (Orgs). Pesquisa Qualitativa em Educação Matemática. 3.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

GAUER, A. J.. Critérios de avaliação de trabalhos em Feiras de Matemática: um olhar voltado para o processo. In: ZERMIANI, V. J. (Org.). Feiras de Matemática: um programa científico & social. Blumenau, Acadêmica, 2004.

HOELLER, S. A. de O. et al. Feiras de Matemática: percursos, reflexões e

compromisso social. HOELLER, S. A. de O. et al (Orgs). Blumenau: IFC, 2015.

MANCUSO, R. Feiras de Ciências, das escolares às nacionais: conflitos e sucessos. In: REUNIÃO REGIONAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIÊNCIA, 2: 2006; Porto Alegre, RS, anais... Porto Alegre: SBPC/RS, 2006. 1 CD- ROM.

OLIVEIRA. F. P. Z. Pactos e Impactos da Iniciação Científica na formação dos estudantes do Ensino Médio. 2017. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis – SC, 2017.

OLIVEIRA. F. P. Z.; DALLMANN, M. C. S. O Processo de Orientação de Trabalhos para as Feiras de Matemática. In: ZERMIANI, V. J. (Org.). Feiras de Matemática: um programa científico & social. Blumenau, Acadêmica, 2004.

PORTO-GONÇALVES, C. W. A globalização da natureza e a natureza da globalização.7 edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

POSTMAN, N E WEINGARTNER, C. Contestação- Nova Fórmula de Ensino. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1978.

SASSE LIMA, T. C.; MIOTO, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científco: a pesquisa bibliográfca. Rev. Katálysis, Florianópolis, v. 10, n. esp., p. 37-45 2007. Disponível em: . Acesso em: 10 de mar. 2019.

SILVA, F. A. Espaço de socialização de saberes e inovação curricular do Professor de Matemática: A primeira Feira Estadual de Matemática do Acre. Dissertação (Programa PósGraduação em Ensino de Ciências e Matemática – MPECIM) Universidade Federal do Acre, AC, 2018.

SILVA, V. C. Narrativas de Professores que ensinam Matemática na Região de Blumenau – (SC): sobre as Feiras Catarinenses de Matemática. Tese (Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência). Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, campus de Bauru, SP, 2014.

SOARES, R. C. S. Feira de Matemática como agente estimulador para a aprendizagem de Matemática. Dissertação (Programa PósGraduação em Ensino de Ciências e Matemática – MPECIM) Universidade Luterana do Brasil – Canoas – RGS, 2005.

SOUZA, C. P. Feiras Catarinenses De Matemática: Contribuições para Inclusão Escolar de um Grupo de Alunos com Déficit Intelectual. 2009, 227 f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica) Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis – SC, 2009.

ZERMIANI, V. J. Avaliação dos Projetos de Extensão Desenvolvidos pelo Laboratório de Matemática da FURB. 2002, 174 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, 2004.

______________________ (Org). Feiras de Matemática: um programa científico & social. Blumenau, Acadêmica, 2004.

______________________. Histórico das Feiras Catarinenses de Matemática. Rev. Catarin. De Educ. Matemática. SBEM SC, Blumenau, ano 1, n.1, p. 3-9, 1996.

SKOVSMOSE, O. Educação Matemática Crítica: a questão da democracia. Campinas, SP: Papirus, 2001. (Coleção Perspectivas em Educação Matemática).

Apontamentos

  • Não há apontamentos.