As aprendizagens de professores em formação e vivência em Feira de Matemática

Marília Zabel, Morgana Scheller

Resumo

As Feiras de Matemática constituem um espaço propício para o incentivo, divulgação e socialização de projetos educacionais na forma de relatos de experiências, pesquisa ou atividades matemáticas. Acredita-se que podem constituir-se em um processo formativo. Destarte, este artigo analisa as aprendizagens profissionais de duas professoras dos anos iniciais, iniciantes no contexto de formação e vivência de Feiras de Matemática. Os dados foram obtidos por meio de entrevista semiestruturadas a essas professoras, as quais participaram, em 2018, de um processo de formação para planejamento, execução e socialização de trabalhos que podem ser expostos em Feiras de Matemática. A recolha dos dados ocorreu após as professoras terem percorrido todo o processo e foram analisados na perspectiva qualitativa e interpretativa. Os resultados apontam que no contexto do trabalho realizado, as principais aprendizagens foram as relacionadas ao conteúdo, que possibilitaram uma reconfiguração dos saberes pedagógicos e do currículo ao fazer pedagógico. Tais aprendizagens reconfiguram os saberes da prática educativa das professoras. Concluiu-se que a experiência vivenciada se configurou numa possibilidade de formação para a (re)construção dos saberes docentes.

Texto completo:

PDF

Referências

ALMEIDA, P. C. A.; BIAJONE, J. Saberes docentes e formação inicial de professores:

implicações e desafios para as propostas de formação.Educ. Pesqui., São Paulo , v. 33, n. 2, p. 281-295, Aug. 2007 . Disponível em: . Acesso em: 03 Fev. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022007000200007.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (Eds.). Manual de Pesquisa Qualitativa. Thousand Oaks: Sage Publications, 1994.

FLICK, Uwe. Introdução à metodologia de pesquisa: um guia para iniciantes. Porto Alegre: Penso, 2013.

GAUTHIER, C et al. Por uma teoria da Pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. 2. ed. Ijuí: Unijuí, 2006.

PONTE, J. P. Estudando o conhecimento e o desenvolvimento profissional do professor de matemática. In: N. PLANAS (Ed.). Educación matematics: Teoría, critica y prática. Barcelona: Graó, 2012. p. 83-98.

SCHÖN, D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Org.). Os professores e sua formação. 2 ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

SHULMAN, L. S. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational, v. 15, n. 2, p. 4-14, 1986.

______. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Tradução de Leda Beck. Cadernos Cenpec, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 196-229, dez. 2014. Disponível em: http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/view/293. Acesso em: 12 fev. 2019.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes, 2005.

TARDIF, M.; LESSARD, C.; GAUTHIER, C. Formação dos professores e contextos sociais. Porto: Rés, 2001.

ZERMIANI, V. J.; JUBINI, G. M.; SOUZA, R. G. A matemática e as feiras em Santa Catarina. In: HOELLER, S. A. O. et al. (Orgs.). Feiras de Matemática: percursos,

reflexões e compromisso social. Blumenau: IFC, 2015. p. 18-29.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.