Aplicação de regras matemáticas: entre o treino e o uso da gramática

Marisa Rosâni Abreu da Silveira, Paulo Vilhena da Silva

Resumo

Este texto tem o objetivo de discutir a aplicação de regras matemáticas que, sob a perspectiva da filosofia de Wittgenstein, podem ser compreendidas pelo treino. O treino corresponde a diversas aplicações de uma determinada regra matemática em diferentes contextos. Para que o aluno aplique tal regra, ele pode consultar a gramática da matemática na qual esta regra está inserida. A gramática própria da matemática é o conjunto de regras que determina o uso adequado de conceitos matemáticos, tais como aqueles que provêm da aritmética, álgebra e geometria. Após algumas inserções nas ideias de alguns comentadores de Wittgenstein, do próprio filósofo e de alguns educadores matemáticos que utilizam sua filosofia para pensar a docência, concluímos que é no movimento entre o treino e o uso da gramática que o estudante percebe a circularidade de sentidos dos conceitos matemáticos.

Texto completo:

PDF

Referências

ARRUDA JÚNIOR, Gerson Francisco. 10 Lições sobre Wittgenstein. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

CAVEING, Maurice. Le problème des objets dans la pensée mathématique. Paris: Librairie Philosophique J. Vrin, 2004.

ENGEL, Pascal. Logique, raisonnement et normes de rationalité. In.: HOUDÉ, O.; MIÉVILLE, D. Penséee logico-mathématique: nouveaux objets interdisciplinaires. Paris: PUF, 1993.

GONÇALVES, Carolina F. Adestrar para a autonomia: a crítica wittgensteiniana ao construtivismo. Dissertação de mestrado. UERJ, 2013.

GONÇALVES, Carolina; ESTEVES, Júlio; SANTOS, Lenilson. O adestramento wittgensteiniano como possibilidade pedagógica frente às incertezas do construtivismo. Atas do II Congresso Internacional TIC e Educação, Lisboa, 2012.

GOTTSCHALK, Cristiane Maria Cornélia. O paradoxo do ensino da perspectiva de uma epistemologia do uso. Educação e Filosofia. Uberlândia, v. 27, n. 54, p. 659-674, jul./dez. 2013.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Tradução de Márcia de Sá Cavalcante. Petrópolis: Vozes, 1986.

JUNQUEIRA, Eduardo. Garotão nota dez. Veja, São Paulo: Ed. Abril, p. 9-13, ago., 1998.

LOI, Maurice. Rigueur et ambiguïté. In: DIEUDONÉE. J. et alli. Penser les mathématiques (Séminaire de philosophie et mathématiques de l’École normale supérieure). Paris: Éditions du Seuil, 1982, p. 108-125.

PRADO JR., Plinio Walder. La norme et l’idiome. Notes sur Wittgenstein, le dressage et l’infans. Presses universitaires de Caen. Le Télémaque, 2009/2, n. 36, pp. 57- 68.

SAINT-FLEUR, Joseph P. Ludwig Wittgenstein: de l’éthique de la pédagogie à la pédagogie de l’éthique: Pour une éducation à l’autonomie. SPIRALE - Revue de Recherches en Éducation – 1998, n. 21, pp. 191-205.

SILVA, Paulo Vilhena da. O aprendizado de regras matemáticas: uma pesquisa de inspiração wittgensteiniana com crianças da 4ª série no estudo da divisão. Belém: UFPA, 2011. Dissertação (mestrado em Educação Matemática).

SILVA, Paulo Vilhena; SILVEIRA, Marisa Rosâni Abreu. O ver-como wittgensteiniano e suas implicações para a aprendizagem da matemática: um ensaio. In: BoEM, Joinville, v. 2, n. 3, p. 17-34, ago./dez. 2014.

SILVEIRA. Marisa R. Abreu da. Produção de sentidos e construção de conceitos na relação ensino/aprendizagem da matemática. Porto Alegre: UFRGS, 2005. Tese (Doutorado em Educação).

SILVEIRA, Marisa R. Abreu da. A interpretação da matemática na escola, no dizer dos alunos: ressonâncias do sentido de “dificuldade”. Porto Alegre: UFRGS, 2000. Dissertação (Mestrado).

WITTGENSTEIN, Ludwig. Fichas (Zettel). Tradução de Ana Berhan da Costa. Lisboa: Edições 70, 1989.

WITTGENSTEIN. Ludwig. Investigações Filosóficas. Tradução de Marcos G. Montagnoli. Petrópolis: Vozes, 2009.

WITTGENSTEIN, Ludwig. O Livro Azul. Tradução de Jorge Mendes. Lisboa: Edições 70, 1992a.

WITTGENSTEIN, Ludwig. O Livro Castanho. Tradução de Jorge Marques. Lisboa: Edições 70, 1992b.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Remarks on the foundations of mathematics. Org. G. H. Von Wright, R. Rhees e G. E. M. Ascombe. Oxford: Blackwell, 1998.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.