Linguagem em Atividades de Modelagem Matemática: uma perspectiva wittgensteiniana

Bárbara Nivalda Palharini Alvim Sousa, Lourdes Maria Werle de Almeida

Resumo

Neste artigo investigamos relações entre modelagem matemática e linguagem, em particular, a linguagem matemática. Dados provenientes de uma atividade de modelagem matemática, desenvolvida por treze alunos, são analisados a fim de responder a questão de pesquisa: “como os alunos justificam seus procedimentos matemáticos no decorrer de atividades de modelagem matemática?” Registros escritos, transcrição de áudio e vídeo possibilitaram uma análise da linguagem dos alunos no desenvolvimento da atividade. Levando em consideração elementos da perspectiva wittgensteiniana de linguagem são construídas árvores de associação de ideias que sinalizam o modo como os alunos utilizam proposições, regras e diferentes jogos de linguagem que se articulam na justificativa dos procedimentos matemáticos utilizados pelos alunos.

 

Texto completo:

PDF

Referências

ALMEIDA, L. M. W. Jogos de linguagem em atividades de modelagem matemática. VIDYA, v. 34, n. 1, p. 241-256, jan./jun., 2014b.

ALMEIDA, L. M. W. The ‘Practice’ of Mathematical Modeling Under a Wittgensteinian Perspective. International Journal for Research in Mathematics Education, v. 2, p. 98-113, 2014a.

ALMEIDA, L. M. W.; FERRUZZI, E. Uma aproximação socioepistemologica para a Modelagem matemática. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.2, n. 2, p. 117-134, jul 2009.

ALMEIDA, L. M. W.; SILVA. K. P.; VERTUAN, R. E. A modelagem matemática na educação básica. São Paulo: Contexto, 2012.

ALMEIDA, L. M. W.; TORTOLA, E.; MERLI, R. F. Modelagem Matemática – com o que estamos lidando: modelos diferentes ou linguagens diferentes? Acta Scientiae: Revista de Ensino de Ciências e Matemática, vol. 14, p. 215-239 – maio/ago – 2012.

CONDÉ, M. L. L. Wittgenstein: linguagem e mundo. São Paulo: Annablume, 1998.

COSTA, D. E.; MORAES, M. S. F.; SILVEIRA, M. R. A. Um estudo sobre problemas de tradução relativos às propriedades de limites de função real de uma variável real. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v. 18, n. 1, pp. 203-216, 2016.

D’AMBROSIO, U. The role of mathematics in educational systems. ZDM. Vol. 39, p. 173-181, 2007.

DUMMET, M. Wittgenstein’s philosophy of mathematics, Philosophical Review, 68 3: pp. 324-348, 1959.

GERRARD, S. A philosophy of mathematics between two camps. In: The Cambridge Companion to Wittgenstein. SLUGA, Hans; STERN, David G. (ed.). Cambridge: Cambridge University Press, 1996, pp 171-197.

GERRARD, S. Wittgenstein’s philosophies of mathematics. Synthese, Londres, v.87, 125-142, Kluwer Academic Publishers, 1991.

GOTTSCHALK, C. M. A transmissão e produção do conhecimento matemático sob uma perspectiva wittgensteiniana. Cadernos Cedes, Campinas, v.28, n.74, pp.75-96, jan./abr. 2008.

GOTTSCHALK, C. M. C. A Natureza do Conhecimento Matemático sob a Perspectiva de Wittgenstein: algumas implicações educacionais. Caderno de História e Filosofia da Ciência. Campinas, SP, Série 3, v. 14, n. 2, p. 305-334, jul.-dez. 2004.

GOTTSCHALK, C. M. C. Fundamentos epistemológicos da educação de uma perspectiva wittgensteiniana? entre o adestramento e a compreensão. In: Azize, R. L. (Org.). Wittgenstein nas Américas: legado e convergências. 1ed.Salvador (Bahia), Brasil: Editora da Universidade Federal da Bahia, 2018, v. 1, p. 53-71.

GOTTSCHALK, C. M. C. O papel do método no ensino: da maiêutica socrática à terapia wittgensteiniana. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, v.12, n.1, p. 64-81, dez. 2010.

IZMIRLI, I. M. Wittgenstein as a social constructivist. Philosophy of Mathematics Education Journal, n. 27, april 2013, p. 1-12

KLÜBER; T. E; BURAK, D. Bases epistemológicas e implicações para práticas de modelagem matemática em sala de aula. In: IV Seminário internacionoal de pesquisa em educação matemática. Anais... Brasília, DF, pp. 1-16, out. 2009.

MATTHEUS, M. História, filosofia e ensino de ciências: a tendência atual de reaproximação. Cad. Cat. Ens. Fís., v. 12, n. 3: p. 164-214, dez. 1995.

MORENO, A. R. Descrição fenomenológica e descrição gramatical – ideias para uma pragmática filosófica. Revista olhar. Ano 4, n. 7, p. 93-139, jul-dez, 2003.

NISS, M. Prescriptive Modelling – Challenges and Opportunities. In: STILLMAN, G.; BLUM, W.; BIEMBENGUT, M. S. (Eds.) Mathematical Modelling in Education Research and Practice: cultural, social and cognitive influences. New York: Springer, p. 67-80, 2015.

OLIVEIRA, M. de S.; SILVEIRA, M. R. A. Falar e Mostrar para Provar: Uma contribuição Teórica sobre a Utilização dos Gestos Ostensivos Wittgensteinianos como Auxiliares na Prova Matemática. ALEXANDRIA Revista de Educação em Ciência e Tecnologia. v. 9, n. 2, p. 271-285, 2016.

OLIVEIRA, M. S. Interpretação e comunicação em ambientes de aprendizagem gerados pelo processo de modelagem matemática. Dissertação (Mestrado em Ciências e Matemática) - Universidade Federal do Pará. Belém, 2010.

OTTE, M. F; BARROS, L. G. X. What is mathematics, really? Who wants to know? Bolema. Rio Claro, SP. vol. 29, n. 52, ago. 2015, p. 756-772.

PALHARINI, B. N. A Matemática em atividades de modelagem matemática: uma perspectiva wittgensteiniana. 2017. 316p. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Universidade Estadual de Londrina, UEL, Londrina, 2017.

POLLAK, H. O. The Place of Mathematical Modelling in the System of Mathematics Education: Perspective and Prospect. In: STILLMAN, G.; BLUM, W.; BIEMBENGUT, M. S. (Eds.) Mathematical Modelling in Education Research and Practice: cultural, social and cognitive influences. New York: Springer, p. 265-276, 2015.

SILVEIRA, M. R. A.; SILVA, P. V. O cálculo e a escrita matemática na perspectiva da filosofia da linguagem: domínio de técnicas. Educ. Matem. Pesq. São Paulo, v.18, n.1, pp. 469-483, 2016.

SOUZA, E. G. A aprendizagem matemática na modelagem matemática. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) - Universidade Federal da Bahia, Instituto de Física. Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador, 2012.

SOUZA, E. G.; ALMEIDA, L. M. W.; KLÜBER, T. E. Research on Mathematical Modelling in Mathematics Education in Brazil: Overview and Considerations. In: RIBEIRO, A. J. et. al. (Eds.). Mathematics Education in Brazil. Panorama of Current Research, 2018, p. 211-228.

SOUZA, E. G.; BARBOSA, J. C. Contribuições teóricas sobre a aprendizagem matemática na modelagem matemática. Zetetiké. v. 22, n. 41, p. 31-58, jan/jul, 2014.

SPINK, M. J. Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano. Ed. Virtual. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2013, p. 22-41.

SRIRAMAN, B.; LESH, R. Modeling conceptions revisited. ZDM. Vol 38, n.3, 2006.

TORTOLA, E. Configurações de Modelagem Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental. 2016. 304f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2016.

TORTOLA, E. Os usos da linguagem em atividades de Modelagem Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental. 2012. 168f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

VILELA, D. S. Práticas matemáticas: contribuições sócio-filosóficas para a Educação Matemática. Zetetiké – Cempem – FE – Unicamp, v. 17, n. 31, pp. 191-211, jan/jun – 2009.

VILELA, D. S.; MENDES, J. R. A linguagem como eixo da pesquisa em educação matemática: contribuições da filosofia e dos estudos do discurso. Zetetiké – FE/Unicamp – v. 19, n. 36, pp. 7-25, – jul/dez 2011.

WITTGENSTEIN, L. Investigações Filosóficas. 8. ed. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2013.

WITTGENSTEIN, L. Remarks on the foundations of mathematics. The MIT Press, Cambridge, Massachusetts; London, England, 1996.

WRIGHT, C. Wittgenstein on the Foundations of Mathematics, Duckworth: London, 1980.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.