Jogos de linguagem e significação em aulas de física no ensino médio: O papel da linguagem matemática

Natan Savietto, Henrique César da Silva

Resumo

A Física trabalha com uma linguagem cuja significação passa pela matemática, mas vai além dela. Há várias visões dessa relação entre Física e Matemática, sendo esta pensada como estrutura, como ferramenta, como fundamento, ou como linguagem da/para a Física. Neste artigo adotamos como referência a filosofia da linguagem de Wittgenstein. Destacamos a noção de jogos de linguagem, com suas regras próprias e semelhanças de família, que colaboram para o entendimento da significação como dependente do uso que se faz da linguagem, nos diferentes contextos ou formas de vida, como, no nosso caso, o contexto escolar de ensino de Física. Tomando como base essa concepção da matemática como linguagem na relação com a Física, buscamos identificar como e que jogos de linguagem, envolveram tanto a linguagem verbal e quanto a matemática em aulas de Física no Ensino Médio. Evidenciamos diferentes jogos de linguagem, suas regras e semelhanças de família. As aulas se caracterizaram pela explicitação pelo professor de elementos das regras de significação envolvidas e pelo envolvimento dos estudantes nestas regras.

 

Texto completo:

PDF

Referências

ALMEIDA, M. J. P. M. de. Linguagens comum e Matemática em funcionamento no Ensino de Física.II Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências - ENPEC, Valinhos-São Paulo, 1999.

ALMEIDA, M. J. P. M. de. Discursos originais de cientistas na mediação do fazer científico.II Encontro Internacional Linguagem, Cultura e Cognição: reflexões para o ensino. Belo Horizonte.2003. Disponível em fep.if.usp.br/~profis/arquivos/ivenpec/ Arquivos/Painel/ PNL119.pdf. Acesso em maio de 2015.

ALMEIDA, M. J. P. M. de. Discursos da ciência e da escola: ideologia e leituras possíveis. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2004.

ALMEIDA, M. J. P. M. de. O imaginário de estudantes de licenciatura sobre exercícios em aulas de Física.Nuances: estudos sobre Educação. Ano XVIII, v. 22, n. 23, p. 58-72, mai./ago. 2012.

ALMEIDA, M. J. P. M. de. A relevância das linguagens Matemática e comum na produção e ensino da Física.XX Simpósio Nacional de Ensino de Física – SNEF, São Paulo, 2013.

ATAÍDE, A. R. P. de. O papel da Matemática na compreensão de conceitos e resolução de problemas de termodinâmica. Tese, Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências da Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana, 2013.

ATAÍDE, A. R. P. de; GRECA, I. M. Estudo exploratório sobre as relações entre conhecimento conceitual, domínio de técnicas Matemáticas e resolução de problemas em estudantes de Licenciatura em Física.Revista Electrónica de Enseñanza de lasCiencias v. 12, Nº 1, 209-233, 2013.

CONDÉ, M. L. L. Wittgenstein Linguagem e Mundo. São Paulo: Annablume, 1998.

CONDÉ, M. L. L.As teias da razão: Wittgenstein e a crise da racionalidade moderna. Belo Horizonte: Argvmentvm, 2004.

FEIO, E. S. P.; SILVEIRA, M.R.A. A conversão da língua natural para a linguagem Matemática à luz da teoria dos registros de representação semiótica. Anais do sexto Encontro Paraense de Educação Matemática, Belém, 2008. Disponível em http://www.ppgecm.ufpa.br/index.php/grupos-de-pesquisa/gelim/publicacoes. Accesso em maio 2015.

HUDSON, H. T.; LIBERMAN, D. The combined effect of mathematics skills and formal operational reasoning on student performance in thegeneral physics course. American Journal of Physics, v. 50, n. 12, p. 1117-1119, 1982.

HUDSON, H. T. ; McINTIRE, W. R., Correlation between mathematical skills and success in physics, American Journal of Physics, v. 45, n.5, p. 470-471, 1977.

KARAM, R. A. S. M. Estruturação Matemática do pensamento físico no ensino: uma ferramenta teórica para analisar abordagens didáticas. Tese, Faculdade de Educação, USP, 2012.

KARAM, R. A. S. Matemática como estruturante e Física como motivação: uma análise de concepções sobre as relações entre Matemática e Física. In: VI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2007, Florianópolis. Anais …Florianópolis: ABRAPEC, 2007.

KARAM, R. A. S.; PIETROCOLA, M. Resolução de problemas e o papel da Matemática como estruturante do pensamento físico. In: XVIII Simpósio Nacional de Ensino de Física, 2009, Vitória. Anais ...Vitória: SBF, 2009.

KARAM, R. A. S.; PIETROCOLA, M. Habilidades Técnicas Versus Habilidades Estruturantes: Resolução de Problemas e o Papel da Matemática como Estruturante do Pensamento Físico. ALEXANDRIA Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 2, n. 2, p.181-205, 2009a.

KARAM, R. A. S.; PIETROCOLA, M. Discussão das relações entre Matemática e Física no ensino de reatividade: um estudo de caso. Trabalho apresentado no VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências - ENPEC, Florianópolis-Brasil, 2009b.

KARAM, R. A. S.; PIETROCOLA, M. Formalização Matemática X Física moderna no ensino médio: É possível solucionar esse impasse? In: XI Encontro de Pesquisa em Ensino de Física, 2008, Curitiba. Anais...Curitiba: SBF, 2008.

LOZANO, S. R.; CARDENAS, M. Some learning problems concerning the use of symbolic language in physics.Science&Education, v.11, p. 589-599, 2002.

MANNRICH, J. P. Linguagem matemática, física e ensino: Como lincenciandos discutem essa relação. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica), PPGECT, Centro de Ciências Físicas e Matemáticas, UFSC,2014.

MACHADO, N. J. Matemática e Língua Materna: Análise de uma impregnação mútua São Paulo: 6ª. Edição Cortez Editora, 2011.

PIETROCOLA, M. A Matemática como estruturante do conhecimento físico. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. v. 19, n. 1, p. 93-114, 2002.

PIETROCOLA, M. Mathematics as structurallanguageofphysicalthought. In: VICENTINI, M.; SASSI, E. (Ed.) Connecting Research in Physics Education with Teacher Education. New Delhi: Angus &GrapherPublishers, v. 2, p. 35-48, 2010.

SILVEIRA, M.R.A. Wittgenstein e a Matemática. In: III Congresso Brasileiro de Etnomatemática, Niterói, 2008. Anais. Disponível em http://www.ppgecm.ufpa. br/ index.php/grupos-de-pesquisa/gelim/publicacoes. Acesso em maio 2015.

WITTGENSTEIN, L. Investigações Filosóficas. 8ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes; Bragança Paulista, SP: Editora Universitária São Francisco, 2013.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.