Percepção visual e pensamento geométrico nos Anos Iniciais: uma abordagem interdisciplinar com a Arte

Palavras-chave: Interdisciplinaridade. Arte e geometria. Anos iniciais. Percepção visual. Pensamento geométrico.

Resumo

Este artigo aborda o desenvolvimento da habilidade de percepção visual enquanto elemento necessário para a formação do pensamento geométrico nos anos escolares iniciais. Descrevemos uma ação pedagógica interdisciplinar entre Arte e Geometria, realizada em uma escola municipal de Belém do Pará com 52 alunos do terceiro ano do ensino fundamental, que objetivou explorar as propriedades das figuras geométricas planas por meio do desenho de personagens criados pelos alunos. A atividade constituiu uma estratégia de ensino para integrar conhecimentos artísticos e matemáticos a partir de uma reflexão sobre o problema da hiperespecialização disciplinar. Por fim, discutimos os desenhos produzidos, a partir de relatos orais e fotográficos dos alunos envolvidos, e evidenciamos que a habilidade de percepção visual foi mobilizada para associar as formas geométricas planas às partes do corpo humano e assimilar noções iniciais das transformações geométricas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BELÉM. Decreto Municipal nº 29.205, de 13 de setembro de 1996. Belém: Secretaria Municipal de Educação e Cultura, 1996.

BOGDAN, Robert C.; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação e Cultura, 2017. Disponível em: http://portal.mec.gov.br. Acesso em: 25 fev. 2019.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: Ministério da Educação; Secretaria de Educação Básica, 1997, v. l.

CAÑETE, Lílian Sipoli Carneiro. O diário de bordo como instrumento de reflexão crítica da prática do professor. 2010. 151f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

CAVALCANTE, Larissa Gabrielle Mendes. Experiência estética com formas geométricas nos Anos Iniciais. 2019. 188f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) - Universidade Federal do Pará, Belém, 2019.

COLLIER Jr., John; COLLIER, Malcom. Visual anthropology: photography as a research method [Antropologia visual: fotografia como método de pesquisa]. 3. ed. Albuquerque: University of New Mexico Press, 1990.

DEL GRANDE, John J. Percepção especial e geometria primária. In: LINDQUIST, Mary Montgomery; SHULTE, Albert P. (Org.). Aprendendo e ensinando geometria. Tradução de Hygino H. Domingues. São Paulo: Atual, 1996.

FONSECA, Maria da Conceição Ferreira Reis; LOPES, Maria da Penha; BARBOSA; Maria Laura Magalhães Gomes; DAYRELL, Mônica Maria Machado S. S. O ensino de geometria na escola fundamental: três questões para a formação do professor dos ciclos iniciais. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

GOBBI, Márcia. Desenho infantil e oralidade: instrumentos para pesquisas com crianças pequenas. In: DEMARTINI, Zeila de Brito Fabri; FARIA, Ana Lúcia Goulart de; PRADO, Patrícia Dias (Org.). Por uma cultura da infância: metodologias de pesquisa com crianças. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2015. p. 69-87.

GONÇALVES, Harryson Júnio Lessa; SANTOS, Edvan Ferreira dos. Discussões curriculares sobre a interface Arte e Matemática a partir de uma perspectiva crítica e criativa. In: SILVA, Ricardo Scucuglia Rodrigues (Org.). Artes em Educação Matemática. Porto Alegre: Editora Fi, 2019. p. 81-105.

LICEU Escola de Artes e Ofícios Mestre Raimundo Cardoso. Projeto Político-Pedagógico 2012. Belém, 2012.

MLODINOW, Leonard. Elástico: como o pensamento flexível pode mudar nossas vidas. Tradução de Claudio Carina. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 8. ed. Tradução de Eloá Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

NACARATO, Adair Mendes; PASSOS, Cármen Lucia Brancaglion. A geometria nas séries iniciais: uma análise sob a perspectiva da prática pedagógica e da formação de professores. São Carlos, SP: EDUFSCAR, 2003.

NICOLESCU, Basarab. Transdisciplinarity: history, methodology, hermeneutics [Transdisciplinaridade: história, metodologia, hermenêutica]. Economy, Transdisciplinarity, Cognition, v. 11, n. 2, p. 13-23, 2008.

PASSMORE, John. O conceito de ensino. Trad. Olga Pombo com base numa primeira versão de Manuel José Seixas Constantino. In: POMBO, Olga (Org.). Educar/Ensinar: materiais de estudo. Lisboa: Universidade de Lisboa, 2001. p. 1-18. (Cadernos de História e Filosofia da Educação).

POMBO, Olga. Interdisciplinaridade e integração dos saberes. LIINC em revista. v. 1, n. 1, p. 3-15, mar. 2005.

READ, Herbert. A educação pela arte. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

RODRIGUES, Aparecida Silva Duarte; SILVA, Maria Célia Leme da. Abaixo Euclides e acima quem? Uma análise do ensino de geometria nas teses e dissertações sobre o Movimento da Matemática Moderna no Brasil. Práxis Educativa (Brasil), v. 1, n. 1, p. 87-93, jan./jun. 2006.

SILVA, Maria Célia Leme da; VALENTE, Wagner Rodrigues. Aritmética e Geometria nos anos iniciais: o passado sempre presente. Revista Educação em Questão, Natal, v. 47, n. 33, p. 178-206, set./dez. 2013.

SNOW, Charles P. As duas culturas e uma segunda leitura. Tradução de Geraldo Gerson de Souza. São Paulo: EDUSP, 1995.

SOUSA, Richard Perassi Luiz de. Roteiro didático da arte na produção do conhecimento. Campo Grande: Editora UFMS, 2005.

VIANNA, Heraldo Marelim. Pesquisa em educação: a observação. Brasília: Plano, 2003.

ZALESKI, Dirceu. Matemática e Arte. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

Publicado
2020-04-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 103
  • PDF Downloads 103
Como Citar
CAVALCANTE, L. G. M.; SILVA, C. A. F. DA; MENDES, I. A. Percepção visual e pensamento geométrico nos Anos Iniciais: uma abordagem interdisciplinar com a Arte. REMATEC, v. 15, p. 16-31, 30 abr. 2020.
Seção
Artigos Científicos