O letramento matemático nos anos iniciais do ensino fundamental

Palavras-chave: Letramento matemático. BNCC. Sequência Fedathi. Contexto sociocultural

Resumo

O letramento é indissociável do contexto social e cultural, e deve compreender a realidade dos educandos. A Base Nacional Comum Curricular-BNCC (BRASIL, 2018) apresenta o letramento como condição para a alfabetização. Objetivamos com esse estudo favorecer a elaboração de conjecturas, formulação e resolução de problemas matemáticos, a partir do letramento matemático. Para tanto, realizamos e apresentamos reflexões sobre as unidades temáticas da BNCC de matemática dos anos iniciais do Ensino Fundamental, estabelecendo redes de reflexões sobre conceitos, procedimentos, fatos e ferramentas didáticas, aliadas a metodologia Sequência Fedathi(SF). Os resultados apontam a necessidade de atividades na perspectiva do letramento que favoreçam a formação continuada dos professores dos anos iniciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BORRALHO, António & BARBOSA, Elsa. Pensamento Algébrico e exploração de Padrões. Disponível em: http://www.apm.pt/files/_Cd_Borralho_Barbosa_4a5752d698ac2.pdf. Acesso em 17/06/2017.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. 3.ª versão. Brasília: Ministério da Educação. 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf. Acesso em: 31 de março de 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Proposta preliminar. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec. gov.br. Acesso em: 05 maio de 2019.

BRASIL. PISA. http://portal.inep.gov.br/artigo/-/asset_publisher/B4AQV9zFY7Bv/content/o-que-e-o-pisa/21206. Acesso dia 11 de setembro de 2017.

FONSECA, M. C. F. R. (Org.). Letramento no Brasil: habilidades matemáticas. São Paulo: Global, 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GALVÃO, Elizangela da Silva e Nacarato, Adair Mendes. O letramento matemático e a resolução de problemas na Provinha Brasil. http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/viewFile/849/293. Acesso dia 19 de junho de 2014.

KAMII. C. A criança e o número: implicações da teoria de Piaget. Campinas: Papirus, 1990.

LOPES, C. A. E. A probabilidade e Estatística no Ensino Fundamental: uma análise curricular. Dissertação de Mestrado. Campinas: FE/UNICAMP, 1998.

LORENZATO, S. Para aprender Matemática. 2. ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2008. Coleção Formação de Professores.

NACARATO, Adair Mendes. LOPES, Celi Espassandin. (org.). Escritas e leituras na educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

NACARATO, Adair. Escrita, leitura e ensino da matemática Adair Nacarato, Universidade de São Francisco/SP, em entrevista ao grupo CONTAR. Natal | RN| Ano I, n. 01, out./jan. 2012, EDUFRN.

NASCIMENTO, Caroline Tatiane Silva & SILVA, Révero Campos. Evidências de padrões de regularidade nos livros didáticos de matemática do ensino fundamental. Disponível em: http://www.ufjf.br/emem/files/2015/10/EVID%C3%8ANCIAS-DE-PADR%C3%95ES-DE-REGULARIDADE-NOS-LIVROS-DID%C3%81TICOS-DE-MATEM%C3%81TICA.pdf. Acesso em 17/06/2017.

SANTOS, C. R. O tratamento da informação: currículos prescritos, formação de professores e implementação na sala de aula. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. 2005.

SANTOS, Maria José Costa dos. A formação do professor de matemática: metodologia sequência fedathi (sf). Revista Lusófona de Educação, 2017. [S.l.], v. 38, n. 38, mar. 2018. ISSN 1646-401X. Disponível em: http://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/6261>. Acesso em: 11 jan. 2019.

SANTOS, Maria José Costa dos (2007). Reaprender frações por meio de oficinas pedagógicas: desafio para a formação inicial. (Dissertação e Mestrado). Fortaleza: UFC.

SANTOS, Maria José Costa dos. Reaprender frações por meio de oficinas pedagógicas: desafio para a formação inicial. São Paulo, Editora Agbook. 2010.

SANTOS, M. J. C. O currículo de matemática dos anos iniciais do ensino fundamental na base nacional comum curricular (BNCC): os subalternos falam? HORIZONTES, v. 36, n. 1, p. 132-143, jan./abr., 2018.

SOARES, M. B. Letramento: Um Tema em Três Gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 1998, v.1. VITA. C. Vita. [et al.].Metodologia do ensino da matemática / Elaboração de conteúdo: Aida – Ilhéus, BA: Editus, 2012. 175 p. : il. (Pedagogia – módulo 5 – volumte 3 – EAD).

SOARES, Magda Becker. Letramento: Um Tema em Três Gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 1998, v.1. p.190.

SOARES, Magda Becker. O que é letramento. DIÁRIO DO GRANDE ABC, Santo André, São Paulo, 2003. http://www.verzeri.org.br/artigos/003.pdf. Acesso dia 19 de junho de 2014.

SOUSA, Francisco Edisom Eugenio et al. Sequência Fedathi: uma Proposta Pedagógica para o Ensino de Matemática e Ciências. Fortaleza: UFC, 2013.

SOUSA, Francisco Edisom Eugenio de. A pergunta como estratégia de mediação didática no ensino de matemática por meio da Sequência Fedathi / Francisco Edisom Eugenio de Sousa. – 2015. 282 f. : il. color., enc. ; 30 cm.

RADFORD, L. (2005). The semiotics of the schema. Kant, Piaget, and the Calculator. En M. H. G. Hoffmann, J. Lenhard y F. Seeger (Eds.), Activity and Sign. Grounding Mathematics Education (pp. 137-152). New York: Springer.

Publicado
2020-05-14
Métricas
  • Visualizações do Artigo 155
  • PDF Downloads 155
Como Citar
SANTOS, M. J. C. DOS. O letramento matemático nos anos iniciais do ensino fundamental. REMATEC, v. 15, p. 96-116, 14 maio 2020.
Seção
Artigos Científicos