Práticas em teses sobre História da Educação Matemática com a Epistemologia Histórica Cultural de Chartier

Palavras-chave: História da Educação Matemática. Epistemologia Histórica Cultural. Roger Chartier.

Resumo

Este artigo originou-se de uma pesquisa mais ampla que interrogou quais as práticas mais frequentes nas teses sobre História da Educação Matemática que se fundamentam na Epistemologia Histórica Cultural de Chartier em programas de Pós-graduação em universidades brasileiras (2000 - 2018)? Com base na História Cultural propugnada por Chartier (1991, 2016, 2018) e na história da Educação Matemática afiançada por Valente (2013,2014,2018), realizamos uma pesquisa qualitativa do tipo bibliográfica e documental, a partir do banco de teses da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do Centro Brasileiro de Referência em Pesquisa em História da Matemática (CREPHIMAT), bibliotecas virtuais de universidades brasileiras. Os resultados apontam que as teses em História da Educação Matemática com História Cultural, se ampliaram no Brasil, com diversos modos de mobilização da epistemologia de Chartier. As práticas mais frequentes nas teses, são: a formação de professores de matemática, o ensino de Aritmética; os currículos e programas de ensino e a vida de professores de Matemática. Consideramos que o campo de pesquisas nessa área no Brasil, já está consolidado. A diversidade de práticas, aponta o esforço dos pesquisadores desse campo e a melhoria da formação de seus professores pesquisadores e do ensino de matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edina Fialho Machado, Universidade Estadual do Pará
Doutora em Educação em Ciências e Matemáticas pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas do Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI) da Universidade Federal do Pará (IEMCI/UFPA). Tem Mestrado em Educação pela Universidade do Estado do Pará (2007), É Especialista em Elaboração de Projetos Sociais (PUC/MG); Especialista em Docência do Ensino Superior(UFPA); Licenciada Plena em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará (1990). Professora Assistente IV da Universidade do Estado do Pará. Pertence ao Grupo de Pesquisa sobre Práticas Socioculturais e Educação Matemática (GPSEM), e do Grupo de Estudos e Pesquisas Pedagogia em Movimento (GEPPEM) no qual Coordena a Linha "Pedagogia Humanizadoras em Ambientes de Privação de Liberdade". Atualmente pesquisa sobre a "Epistemologia Histórica Cultural de Roger Chartier na produção científica em História da Educação Matemática", e ainda sobre Educação em Ambientes não Escolares e Pedagogia Social. Tem experiência na área de Educação, com especificidade em Pedagogia Social, Estágios, Formação Docente, Educação em Ambientes Não Escolares e suas dimensões, Gestão Educacional.
Iran Abreu Mendes, Universidade Federal do Pará
Bolsista Produtividade em Pesquisa Nível 1C do CNPq, Possui graduação em Licenciatura em Matemática e em Licenciatura em Ciências, ambas pela Universidade Federal do Pará (1983), Especialização em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Federal do Pará (1995), Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1997), Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2001) e Pós-doutorado em Educação Matemática pela UNESP/Rio Claro (2008). Atualmente é professor Titular do Instituto de Educação Matemática e Científica da Universidade Federal do Pará (IEMCI), onde atua como pesquisador do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemáticas. Tem experiência no ensino de Cálculo, Geometria Analítica e Euclidiana, História da Matemática, História da Educação Matemática, Didática da Matemática e Fundamentos Epistemológicos da Matemática. Desenvolve pesquisas sobre: Epistemologia da Matemática, História da Matemática, História da Educação Matemática, História para o Ensino de Matemática, Práticas Socioculturais e Educação Matemática, Diversidade Cultural e Educação Matemática. Líder do Grupo de Pesquisa sobre Práticas Socioculturais e Educação Matemática (GPSEM/UFPA).

Referências

BICUDO, Maria Aparecida Viggiani. IN: OLIVEIRA, Andreia Maria Pereira de. e ORTIGÃO, Maria Isabel Ramalho.(Org.). Abordagens teóricas e metodológicas nas pesquisas em educação matemática, 2018.

BOHN, David Joseph. Totalidade e a ordem implicada. Uma Nova Percepção da Realidade. São Paulo: Cultrix, 1998

CHARTIER, Roger. Inquietudes Teóricas e Desafios Contemporâneos: entrevista com Roger Chartier. Entrevista á VEIGA, Ana Maria e SOUZA, Guilherme Queiroz de. SAECULUM: Revista de História (38): João Pessoa, jan/jun.2018.

CHARTIER, Roger. Defesa e Ilustração da Noção de Representação. Fronteiras, Dourados, MS, v. 13, n. 24, p. 15-29, jul./dez. 2011.

CHARTIER, Roger. Inscrever & Apagar: cultura escrita e literatura, séculos XI-XVIII. Tradução Luzmara Cursino Ferreira. São Paulo: UNESP, 2007.

CHARTIER, Roger. À Beira da Falésia: a história entre incertezas e inquietude. Tradução Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Edi. Universidade UFRGS, 2005.

CHARTIER, Roger. O mundo como representação. Estudos avançados. Vol. 5, n.11. São Paulo. Jan/Abr. 1991.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Tradução Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

FIORENTINI, Dario; NACARATO, Adair Mendes. Cultura, formação e desenvolvimento profissional de professores que ensinam Matemática. Campinas - SP: Musa, 2005.

FLICK. Uwe. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Tradução: Sandra Netz. 2ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª ed. São Paulo: Atlas 2002.

MENDES, Iran Abreu. Pesquisa sobre História da Matemática nas dissertações e teses. In: MENDES, Iran Abreu. MOREY, Bernadete. (Org.). Debates temáticos sobre pesquisa em história da matemática e da educação matemática. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2018.

MENDES, Iran Abreu. Sobre as histórias da educação matemática apresentados no I ENAPHEM”. In: VALENTE, Wagner Rodrigues. (Org.). História da educação matemática no Brasil: problemas de pesquisa, fontes, referências teórico-metodológicas e histórias elaboradas. São Paulo: Livraria da Física, 2014.

MENDES, Iran Abreu. História da matemática no ensino: entre trajetórias profissionais, epistemológicas e pesquisas. São Paulo: Livraria da Física, 2015. (Coleção História da Matemática para professores).

MENDES, Iran Abreu e FARIAS, Carlos Aldemir. Práticas socioculturais e educação matemática. (Orgs.). 1ª ed. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2014 – (Coleção contextos da ciência).

SILVA, Maria Célia Leme e VALENTE, Wagner Rodrigues. Uma breve história do ensinar e aprender matemática nos anos iniciais: uma contribuição para a formação professores. Revista da Educação Matemática e Pesquisa. São Paulo, v.15, Número Especial, pp.857-871, 2013.

VALENTE, Wagner Rodrigues. A matemática a ensinar e a matemática para ensinar: os saberes para a formação do educador matemático. In: HOFSTETTER Rita e VALENTE, Wagner Rodrigues. (Orgs). Saberes em (trans)formação: tema central da formação de professores. 1ª ed. São Paulo: Livraria da Física, 2017. (Coleção contexto da Ciência).

VALENTE, Wagner Rodrigues (Org). História da educação matemática no Brasil: problemáticas de pesquisa, fontes, referências, teórico-metodológicas e histórias elaboradas. São Paulo: Ed. Livraria da Física, 2014a.

VALENTE, Wagner Rodrigues. A prática de ensino de matemática e o impacto de um novo campo de pesquisas: a educação matemática. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 7, n. 2, p.179-196, nov. 2014b. ISSN 1982-5153.
Publicado
2020-07-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 25
  • PDF Downloads 25
Como Citar
MACHADO, E. F.; MENDES, I. A. Práticas em teses sobre História da Educação Matemática com a Epistemologia Histórica Cultural de Chartier. REMATEC, v. 15, p. 177-194, 19 jul. 2020.
Seção
Artigos Científicos