Helvécio de Andrade: contribuições para o saber profissional do professor que ensina matemática (Sergipe, 1913-1916)

Palavras-chave: Matemática a/para ensinar. Aritmética. Ensino e formação do professor primário

Resumo

Neste texto é apresentado o resultado de um estudo que teve como objetivo construir uma caracterização do saber profissional do professor que ensina matemática da escola primária de Sergipe, especificadamente àqueles que se referem à Aritmética, a partir da matemática a ensinar e matemática para ensinar captados em documentos sob autoria de Helvécio de Andrade. Para isso, a partir do ferramental teórico-metodológico que toma os saberes como tema central das profissões de ensino e da formação, este estudo lançou mão inicialmente de conceitos como saberes a ensinar e saberes para ensinar elaborados pela Equipe de Pesquisa em História Social da Educação – ERHISE e a partir deles conjecturaram-se as categorias matemática a ensinar e matemática para ensinar como elementos prioritários para o ensino e formação do professor que ensina matemática. O exame realizado as fontes – os programas de ensino de 1912 e 1915/16, e o manual “Curso de Pedagogia” de 1913 – evidenciou que Helvécio configurou uma aritmética intuitiva como uma matemática a ensinar. Uma aritmética em que o intuitivo é dado por uma ordenação graduada, com ênfase ao uso de dispositivos didáticos como as Cartas de Parker, Contadores Mecânicos e os Cadernos de Dordal e com orientações para o ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, Helvécio. Curso de Pedagogia. Aracaju, Sergipe: Typographia Popular, 1913. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/133883. Acessado em: 06 de out de 2019.

ALVES. E. M. S. O ensino da Aritmética proposto por Baltazar Góes. In: Anais do III CBHE, eixo 04, 2004.

BARROS, J. D’A. O campo da história: especialidades e abordagens. Petrópolis: Vozes, 2004.

BERTINI, L. F.; MORAIS, R. S.; VALENTE, W. R. A matemática a ensinar e a matemática para ensinar – novos estudos sobre a formação de professores. São Paulo: L F Editorial, 2017.

GLOSSÁRIO, 1ª Versão, 2016. Disponível em: https:// repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/158952. Acesso em 10 de jun. de 2020.

HOFSTETTER, R; SCHNEUWLY, B. Saberes um tema central para as profissões do ensino e da formação. IN: HOFSTETTER, R., VALENTE, W. R (Orgs). Saberes em (trans)formação – tema central da formação de professores. São Paulo: LF Editorial, 2017.

HOFSTETTER, R., VALENTE, W. R (Orgs). Saberes em (trans)formação – tema central da formação de professores. São Paulo: LF Editorial, 2017.

LIMA, E. B, VALENTE, W. R. O saber profissional do professor que ensina matemática: considerações teórico-metodológicas. IN: Argumentos Pró-Educação. Pouso Alegre, v. 4, n. 11, p. 928-943, maio - ago., 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/ 10.24280/ape.v4i11.500. Acessado em 04 de jun de 2020.

MATOS. A. M. dos S. Métodos de ensino, manuais, um idealizador: Baltazar Góes e sua aritmética. In: IX Seminário Nacional de História da Matemática, 2011, São Cristóvão - se. Anais IX Seminário Nacional de História da Matemática, 2011. v. 1. p. 1-13

OLIVEIRA, M. A. A aritmética escolar e o método intuitivo: um novo saber para o curso primário (1870 – 1920). Tese (Doutorado em Ciências) – Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos, 2017.

OLIVEIRA, D. M. A. de. Legislação e educação: o ideário reformista do ensino primário em Sergipe na Primeira República - 1889-1930.. 2004. 244 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

OLIVEIRA, D. M. A. de. O Ensino Primário em Sergipe na Primeira República. Histedbr. 200-. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/artigos_pdf/Dilma_Maria_Oliveira_artigo.pdf. Acesso em: 10 de dez de 2019.

OLIVEIRA, Y. D. de. Educação da criança à luz da ciência: a contribuição de Helvécio de Andrade, em Sergipe (1911-1935). 2008. 269 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/10703. Acesso em: 20 mar. 2020.

SERGIPE. Programma para o curso primário nos Grupos Escolares e Escolas Isoladas do Estado de Sergipe 1915. Typ do “Estado de Sergipe”. 1915. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/124882. Acessado em: 04 de set de 2019.

SERGIPE. Programma para o curso primário nos Grupos Escolares e Escolas Isoladas do Estado de Sergipe 1916. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/116813. Acessado em: 04 de set de 2019.

SERGIPE. Programma para o Ensino Primario – Especialmente para os grupos escolares. 1912. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/124884. Acessado em: 04 de set de 2019.

SOUZA, R. F. Inovação educacional no século XIX: A construção do currículo da escola primária no Brasil. Cadernos Cedes, ano XX, n. 51, novembro, 2000. p. 9-28.

SOUZA, R. F. O direito à educação: lutas populares pela escola em Campinas. Campinas: Editora da Unicamp, 1998.

VALENTE, W.R. Do Ensino Ativo para a Escola Ativa: Lourenço Filho e o Material de Parker para a Aritmética do curso primário. 36a. Reunião Nacional da ANPEd. Goiânia: GO, 2013.

VALENTE, W. R. A aritmética intuitiva como uma matemática a ensinar, 1870-1920. IN: Educação Matemática em Revista, Brasília, v. 24, n. 61, p. 54-66, jan./mar. 2019.

VALENTE, W.R. Os experts e a sistematização da matemática para os primeiros anos escolares, 1890-1990, Projeto Temático. CNPq, Processo n. 28/2018, Chamada Universal CNPq, Faixa-C, vigência 2018-2020.
Publicado
2020-09-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 62
  • PDF Downloads 62
Como Citar
TRINDADE, D. DE A. Helvécio de Andrade: contribuições para o saber profissional do professor que ensina matemática (Sergipe, 1913-1916). REMATEC, v. 15, n. 34, p. 30-47, 1 set. 2020.
Seção
Artigos Científicos