A Expertise docente de Domingos Affonso Machado e sua obra de aritmética

Palavras-chave: Formação de professores. Matemática. Experts. Saberes profissionais

Resumo

Na busca em tempos não tão atuais, envereda-se ao espaço ludovicense entre as duas últimas décadas do século XIX e quatro primeiras do século XX. Isto porque, neste período, os jornais e as revistas se encarregavam de apresentar o professor e autor do livro “Questões Práticas de Arithmetica” (1895), Domingos Affonso Machado, como um exemplo de profissional da educação. Neste sentido, através da presente pesquisa buscou-se investigá-lo a partir de sua história de vida e profissional, sua produção e expertise no campo educacional. O presente texto, de metodologia qualitativa, constitui uma pesquisa de abordagem documental, que utiliza fontes primárias dos arquivos da Biblioteca Pública Benedito Leite, do Arquivo Público do Estado do Maranhão e do Liceu Maranhense. Tem-se como aportes teóricos principais os estudos sócio-históricos que vêm sendo desenvolvidos por pesquisadores suíços, os quais consideram o conjunto de saberes profissionais dos professores dos anos iniciais como uma elaboração histórica, bem como de pesquisas que mobilizam esses referenciais no âmbito da própria história da educação matemática brasileira. Acredita-se que descortinar histórias de vida e de vida profissional de professores autores de livros didáticos de matemática do século XIX, aproxima-nos do entendimento de como se constituiu a formação de professores que ensinavam matemática no local e tempo investigados – contribuindo, portanto, para compor um quadro de experts no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERTINI, L. de F.; MORAIS, R. dos S.; VALENTE, W. R. A Matemática a ensinar e a Matemática para ensinar: novos estudos sobre a formação de professores. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2017.

BITTENCOURT, C. M. F. Autores e editores de compêndios de livros de leitura (1810-1910). Educação e Pesquisa, 30(3), set./dez. 2004, p. 475-491.

CASTELLANOS, S. L. V. Práticas leitoras no Maranhão na primeira república: entre apropriações e representações. São Luís: EDUFMA, 2010.

CELLARD, A. A análise documental. In.: POUPART, J. et al. (Org.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis, RJ: Vozes. Tradução de: Ana Cristina Arantes Nasser.
CHARTIER, R. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel; Rio de Janeiro: Bertrand Brasil S.A., 1990.

CHOPPIN, A. Passado y presente de los manuales escolares. In: BERRIO, J. R. La cultura escolar de Europa - Tendências históricas emergentes. (Memória y critica de La Educacioón). Madrid: Biblioteca Neva, 2000, p. 107-141.
COQUEIRO, J. A. Tratado de Arithmetica. Paris: W. Remquet & Cia, s. d. Disponível em: cultura.ma.gov.br/portal/sgc/modulos/sgc_bpbl/acervo_digital/arq_ad/20170720165700.pdf. Acesso em: 01 out. 2019.

DE CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 21. ed., 2014.

FERRAROTTI, F. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, A.; FINGER, M. (Org.). O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

GINZBURG, C. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In _____. Mitos, Emblemas e Sinais. 2. ed. São Paulo: Cia. das Letras, 2002.

HOFSTETTER, R.; SCHNEUWLY, B. Saberes: um tema central para as profissões do ensino e da formação. In: HOFSTETTER, R.; VALENTE, W. R. (Orgs.). Saberes em (trans)formação: tema central da formação de professores. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2017.

HOFSTETTER, R et al. Penetrar na verdade da escola para ter elementos concretos de sua avaliação - A irresistível institucionalização do expert em educação (século XIX e XX). In: HOFSTETTER, R.; VALENTE, W. R. (Orgs.). Saberes em (trans)formação: tema central da formação de professores. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2017.

JORNAL A CRUZADA, 13 de janeiro de 1891, p. 3.

JORNAL DIÁRIO DE PERNAMBUCO, 07 de março de 1883, p. 2.
JORNAL O IMPARCIAL, 30 de março de 1927, p. 2

_______. 05 de julho de 1929, p. 2.

_______. 21 de fevereiro de 1938, p. 1.

JORNAL O PAIZ, 31 de julho de 1880, p. 3.

_______. 4 de setembro de 1884, p. 2.

_______. 29 de novembro de 1884, p. 2.

JORNAL PACOTILHA, 28 de julho de 1892, p. 3.

JORNAL PUBLICADOR MARANHENSE, 20 de dezembro de 1870, p. 2.

_______. 23 de setembro de 1883, p. 2.

JOSÉ, E. Memória, cultura e literatura – O prazer de ler e recriar o mundo. São Paulo: Paulus Editora, 2012.

MACHADO, D. A. Questões práticas de arithmetica. Maranhão: Frias & Filho, 1895.

MAGALHÃES, S. M. Beribéri: a doença misteriosa no Brasil oitocentista. História Unisinos, Rio de Janeiro, vol. 18, n. 1, jan./abr. 2014, p. 158-169.

MARANHÃO. Lei nº. 1.272, de 18 de março de 1827. Coleção das Leis e Decretos do Estado do Maranhão do ano de 1927. São Luís: Imprensa Nacional, 1928.

_______. Programa da Escola Normal de 1930. São Luís: Typ. dos Frias, 1930.

_______. Programas aprovados para os cursos Normal e Complementar, no ano de 1934. São Luís: Imprensa Nacional, 1934.

_______. Regulamento da Escola Normal de 1890. São Luís: Typ. dos Frias, 1893.

_______. Regulamento da Escola Normal de 1905. São Luís: Typ. dos Frias, 1905.

_______. Regulamento da Instrução Pública de 1893. São Luís: Typ. dos Frias, 1893.

_______. Regulamento do Liceu Maranhense de 1893. São Luís: Typ. dos Frias, 1893.

MEIRELES, M. M. História do Maranhão. 3. ed. São Paulo: Siciliano, 2001.

MORAIS, R. S. Experts em educação e a produção de saberes no campo pedagógico. REMATEC/ano 12/n. 26/set-dez. 2017, p. 61-70.

MORAIS, R. S. Abordagem teórico-metodológica da pesquisa sobre a produção de novos saberes por experts em educação. Seminário Temático – Os experts e a sistematização da matemática para o ensino e formação de professores, 2020, Cuiabá. Anais...Cuiabá, 2020, p. 1-19. Disponível em : https://drive.google.com/file/d/1gkS1Z7wn5LgSsFO4ZlBKuNVjMuhNIAWa/view. Acesso em: 08 jul. 2020.

PAULILO, M. A. S. A Pesquisa Qualitativa e a história de vida. Serviço Social em Revista, Londrina, v. 2, n. 1, jul./dez., 1999. p. 1-153.

RAGAZZINI, D. Para quem e o que testemunham as fontes da História da Educação? Educar, Curitiba, n. 18, 2001, p. 13-28.

REVISTA MARANHENSE, 1920.

_______. nov./1917, ano 2.

_______. jul./1918, ano 3.

SOARES, W. J. B.; SILVA, C. M. S. Uma história sobre o ensino de juros. Curitiba: Appris, 2016.

SOARES, W. J. B. Uma história da matemática escolar na cidade de São Luís do século XIX: livros, autores e instituições. 2017. 280 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Física Gleb Wataghin, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/322675. Acesso em: 08 jul. 2020.

SOARES, W. J. B. XIX – uma história, uma cidade e os primórdios da matemática escolar. Curitiba: Appris, 2018.

VALENTE, W. R. Quem somos nós, professores de matemática? Cad. Cedes, Campinas, vol. 28, n. 74, jan./abr. 2008, p. 11-23.

_______. O saber: uma questão crucial para a institucionalização da educação matemática e profissionalização do educador matemático. Perspectivas da Educação Matemática. Revista do programa de pós-graduação em educação matemática da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), vol. 9, n. 20, 2016.

______. Programas de ensino e manuais escolares como fontes para estudo da constituição da matemática para ensinar. Alexandria, Florianópolis, v. 12, n. 2, nov./2019, p. 51-63.
Publicado
2020-09-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 20
  • PDF Downloads 20
Como Citar
SOARES, W. DE J. B.; GUIMARÃES, M. D. A Expertise docente de Domingos Affonso Machado e sua obra de aritmética . REMATEC, v. 15, n. 34, p. 120-137, 1 set. 2020.
Seção
Artigos Científicos