Grupo Ruaké e suas abordagens de pesquisas em educação matemática inclusiva

Palavras-chave: Educação especial, grupo de pesquisa, Inclusão

Resumo

Uma vista sobre o percurso do Grupo Ruaké é mostrada neste texto, objetivando apresentar as produções do Grupo em nível de mestrado e doutorado, concluídas e em andamento no período 2014/2018. São abordadas metodologicamente a partir de revisão bibliográfica de produções do grupo e pesquisa sobre acessibilidade para localização georreferenciada do Instituto de Educação em Ciências e Matemáticas – IEMCI. Enquanto resultados, observamos ênfase em estudos relativos às deficiências sensoriais, mostradas em quadros específicos em nível de mestrado e doutorado, sendo este representado por estudo focado em estudo de deficiência visual. Ao final, concluímos que o caminho traçado pelo Grupo na convergência de pesquisas sobre educação especial foi ampliado, sem, contudo, rumar em direção a fechamentos de conceituações ou definições na área, que podem implicar em ocorrência de equívocos. Assim, o Grupo Ruaké pesquisa, reflete e instiga questionamentos que vislumbrem perspectiva de inclusão de pessoas na condição de vulnerabilidade social e deficiências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei Federal Nº 13.146. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), de 6.07.2015. Brasília. Casa Civil. Subchefia para assuntos jurídicos. 2015.

CAJANGO, E, M, F. Tratamento de saúde, educação matemática e escolarização: vivências partilhadas. Anteprojeto. Pará, 2018.

CONTENTE, M, P. Ensino de ciências e educação especializada: significação de estudantes com surdez e com surdocegueira as vivências na cultura científica. Anteprojeto. Pará, 2018.

FERNANDES, F, S. Educação matemática inclusiva: vozes e olhares docentes. Anteprojeto. Pará, 2018.

FRANCO, A, E, R. Olhar o universo! o vivido e o concebido na sala de recursos multifuncionais: nós enxergamos com as mãos! Anteprojeto. Pará, 2018.

GONÇALVES, J, S. Singwriting e o processo de ensino e aprendizagem da matemática para estudantes surdos. Anteprojeto. Pará, 2018.
RODRIGUES, J, M. O ensino de matemática em uma perspectiva inclusiva: experiência com uma aluna com deficiência visual na construção e aplicação de um material didático para aulas de simetria. Anteprojeto. Pará, 2018.

SALES, E, R; PENTEADO, M, G; WANZELER, E, P. A língua brasileira de sinais (Libras). In: SALES, E, R; PENTEADO, M, G; WANZELER, E, P. Educação matemática e educação de surdos: algumas abordagens. Belém: SBEM, 2015. P.29-32. (Coleção Educação Matemática Amazônia, 6). Disponível em . Acesso em 14/11/2020.

SANTOS, F, M. Aritmética elementar para surdocegos. Anteprojeto. Pará, 2018.
SILVEIRA, I, S. A formação de Professores e o ensino de ciências na EJA para alunos com deficiência intelectual. Anteprojeto. Pará, 2018.

SOUSA, M, C. O uso das potencialidades do computador pór um Professor com deficiência física: aspectos e estratégias no ensino de Matemática.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Histórico do NPADC/IEMCI. Disponível em . Acesso em 29/09/2020.

VALENTE, I, L. Experiências e formação de Professores de matemática: elaboração de recursos didáticos voltados ao ensino de números decimais na educação de alunos surdos. Anteprojeto. Pará, 2018.

WANZELER, E, P. Educação matemática e inclusão em contextos no estado do Pará entre a constituição de 1988 e a contemporaneidade de 2018. Anteprojeto. Pará, 2018.
Publicado
2020-12-22
Métricas
  • Visualizações do Artigo 29
  • PDF Downloads 29
Como Citar
SALES, E. R. Grupo Ruaké e suas abordagens de pesquisas em educação matemática inclusiva. REMATEC, v. 15, n. 36, p. 149-163, 22 dez. 2020.
Seção
Artigos Científicos